Agência Sorocaba de Notícias

SECOM

Mutirão contra a dengue remove mais de uma tonelada de criadouros

27 de janeiro de 2020 14:36

Por: Marcelo de Almeida Júnior - marcalmeida@sorocaba.sp.gov.br


Homens retiram criadouros da dengue em terreno.

Ação visitou 1.518 imóveis, um total 20 residências possuíam larvas em recipientes com água

O mutirão realizado pela Secretaria da Saúde (SES) da Prefeitura de Sorocaba, por meio da Divisão de Vigilância Epidemiológica e Zoonoses, removeu neste sábado (25), 1.690kg de criadouros do mosquito Aedes aegypti. A ação também visitou 1.518 imóveis e foram identificadas larvas em 20 casas, além de três moradias que receberam notificação de adequação. Trabalhos de arrastão, visita casa a casa e bloqueios de casos foram feitos nos bairros Simus e Cidade Jardim, localidade com maior concentração de casos confirmados de dengue.

Segundo a chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica e Zoonoses, Thais Buti, o Poder Público necessita urgente da colaboração e conscientização da população para combater o mosquito. “Sabemos da possibilidade de uma nova epidemia de dengue na cidade este ano, e por esse motivo, estamos intensificando cada vez mais nossos trabalhos. Sem a ajuda da população, a doença vai ganhar força em Sorocaba”, alerta. Thais também lembra que desta vez, o vírus em circulação é o sorotipo 2 da doença, ou seja, quem pegou dengue na grande epidemia de 2015 (época da circulação do sorotipo 1), poderá pegar novamente e com maior letalidade.

Durante o mutirão, com o uso de três caminhões, houve a coleta e remoção massiva de recipientes que acumulam água, serviço mais conhecido como “arrastão” que tem como objetivo diminuir a infestação do mosquito. Na visita casa a casa, 40 agentes foram até os imóveis vistoriar os espaços e promover a conscientização e orientação da população, além da busca ativa de novos pacientes que apresentassem sintomas.

De acordo com a SES, até o momento, Sorocaba registrou 47 casos confirmados de dengue (28 autóctones, 18 importados e um indeterminado) e um caso importado de chikungunya da cidade do Rio de Janeiro. Não há casos confirmados de febre amarela e zika. Em relação aos casos de dengue, ainda há 48 novas notificações em investigação.


Saiba mais

Fotos

22 de setembro de 2020 17:22

21 de setembro de 2020 12:02