Endereço: http://noticias.sorocaba.sp.gov.br/parque-porto-das-aguas-ganhara-903-arvores-nativas-da-cpfl-fruto-de-compensacao-ambiental/
Acessado em: 29/05/2020 - 01h47

Parque Porto das Águas ganhará 903 árvores nativas da CPFL, fruto de compensação ambiental

Por: Mariana Campos - macampos@sorocaba.sp.gov.br

Antes do reflorestamento, será feita a supressão de espécies invasoras (leucenas) que dominaram uma faixa de extensão de 520 metros da avenida do parque

 

A CPFL Piratininga, distribuidora da CPFL Energia que atende 27 municípios do interior paulista e Baixada Santista, vai plantar 903 árvores nativas da região no Parque Porto das Águas. A ação faz parte de uma compensação ambiental firmada entre a concessionária e a Prefeitura de Sorocaba, por meio da Secretaria do Meio Ambiente e Sustentabilidade (Sema), em razão da implantação da Subestação Sorocaba 7 e Ramal, na região do Cajuru. Antes de reflorestar o espaço público, com o objetivo de garantir a sua efetividade, a concessionária fará a partir de 30 de março a supressão das leucenas (Leucaena leucocefala), espécie arbórea invasora originária da América Central, que atualmente domina o espaço, numa faixa de 520 metros de extensão, beirando a avenida XV de Agosto.

As leucenas serão retiradas do local e darão espaço para o reflorestamento de espécies nativas e adequadas à região. “Trata-se de uma espécie exótica, invasora e nociva para o desenvolvimento das espécies nativas que vamos plantar no local”, explica o secretário do Meio Ambiente, Maurício Tavares da Mota. O trabalho de remoção dos exemplares deverá ser concluído até o dia 5 de abril e contará com apoio dos agentes de trânsito da Urbes.

Após a supressão das leucenas, a CPFL Piratininga vai plantar mudas grandes, com cerca de dois metros de altura, para garantir a efetividade do plantio e será responsável por sua manutenção por um período de dois anos. Serão utilizadas no reflorestamento diversas espécies nativas, especialmente as frutíferas, para atrair a fauna, como grumixama, goiaba, ingá-do-brejo, pitanga e uvaia.

“Essa medida é importante e necessária para reflorestar o parque e equilibrar o ecossistema da região”, afirma o secretário da pasta. A ação está amparada legalmente, atendendo a lei municipal nº 11.169, de 15 de setembro de 2015, que estabelece política pública municipal de remoção e substituição de árvores da espécie da leucena por espécies nativas do município, e ainda está de acordo com os critérios estabelecidos no Plano de Arborização Urbana de Sorocaba.

A leucena está incluída na lista das 100 espécies invasoras mais agressivas do planeta, elaborada pela União Mundial para a Conservação da Natureza (IUCN). Trata-se de uma espécie denominada como uma “praga”, que produz elevada quantidade de sementes, com boa capacidade de germinação e facilidade de rebrota. Aos poucos, ela vai se alastrando e dominando todo o ambiente, de forma desordenada, impedindo que outras árvores nativas do bioma se desenvolvam, prejudicando a biodiversidade local, ou seja, causando o desequilíbrio do ecossistema.

 

Sobre a CPFL Energia

A CPFL Energia, há 107 anos no setor elétrico, atua nos segmentos de distribuição, geração, comercialização e serviços. Desde janeiro de 2017, o Grupo faz parte da State Grid, estatal chinesa que é a quinta maior organização empresarial do mundo e a maior empresa de energia elétrica, atendendo 88% do território chinês e com operações na Itália, Austrália, Portugal, Filipinas e Hong Kong.

Com 14% de participação, a CPFL Energia é uma das maiores empresas no mercado de distribuição, totalizando mais de 9,8 milhões de clientes em 696 cidades, entre os estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná. Na comercialização, é uma das líderes no mercado livre, com participação de mercado de 4%. É líder na comercialização de energia incentivada para clientes livres entre as comercializadoras.

Na geração, é a terceira maior agente privada do País, com um portfólio baseado em fontes limpas e renováveis, como grandes hidrelétricas, usinas eólicas, térmicas a biomassa, Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH) e usina solar. Considerando a participação acionária na CPFL Renováveis (99,94%), maior empresa de geração da América Latina a partir de fontes alternativas de energia, a capacidade instalada do Grupo CPFL alcançou 4.304 MW, no final de setembro de 2019.

A CPFL Energia possui ações listadas no Novo Mercado da B3. O Grupo também ocupa posição de destaque em arte e cultura, entre os maiores investidores brasileiros, por meio do Instituto CPFL.

 

Foto: CPFL/Divulgação