Agência Sorocaba de Notícias

SECOM

Saae substitui equipamentos para ampliar a eficiência da ETE Itanguá

31 de janeiro de 2020 16:59

Por: Carlos Lara - carloslara@saaesorocaba.sp.gov.br


Saae substitui equipamentos para ampliar a eficiência da ETE Itanguá

Com o objetivo de diminuir custos e manutenções e ampliar a eficiência, tanto energética como de operação, o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Sorocaba está realizando intervenções na Estação de Tratamento de Esgoto Itanguá (ETE Itanguá), que se constituem na substituição dos antigos aeradores por outros novos.

A exemplo das demais ETEs atualmente em operação em Sorocaba – Sorocaba 1, Sorocaba 2, Pitico, Aparecidinha, Quintais do Imperador e Ipaneminha -, a ETE Itanguá trata todo o esgoto que recebe por meio de um processo biológico, sem a utilização de produtos químicos.

Desta forma, a lagoa de aeração que está recebendo os novos equipamentos compõe a etapa considerada a mais importante do processo do tratamento de esgoto, pois por meio da oxigenação (aeração) do efluente são criadas as condições ideais para a proliferação de bactérias e outros micro-organismos, que fazem a digestão da matéria orgânica poluente (esgoto).

Em operação desde dezembro de 2009, a ETE Itanguá está localizada nas proximidades da entrada do Parque São Bento e recebe o esgoto produzido na zona oeste e parte da zona norte da cidade. Sua vazão média atual é de 300 litros por segundo, tratando 19% de todo o esgoto produzido na cidade.

Essa unidade de tratamento de esgoto possui outras duas lagoas de aeração, cujos equipamentos responsáveis pela oxigenação também serão substituídos. Desta forma, na primeira dessas lagoas os oito aeradores antigos, de 50 cavalos de potência cada um, estão sendo trocados por outros seis novos, de 40 cavalos cada.

Como os novos equipamentos são mais eficientes – pois geram mais oxigenação e consequentemente maior aeração -, a autarquia ganha também em economia de energia elétrica, pois além de diminuir o número de aeradores até então existentes, os novos também geram menos consumo, pois possuem menor potência. Outra característica dos novos aeradores que estão sendo instalados é que não são fixos como os antigos, permanecendo em flutuação dentro da lagoa.

De acordo com o diretor-geral do Saae/Sorocaba, engenheiro Mauri Gião Pongitor, o investimento da autarquia nessa primeira etapa é de R$ 800 mil. “É um investimento que acaba sendo pago por si próprio, pois estamos ganhando em eficiência e em economia energética com os novos equipamentos, que também têm a característica de exigir menos manutenções em relação aos antigos, o que também reflete em diminuição de custos, motivos pelos quais pretendemos adquirir os mesmos equipamentos para serem instalados nas outras duas lagoas desta unidade, o que deverá ser feito ao longo deste ano”, explica Mauri.

Remoção do lodo

Como seria necessário paralisar temporariamente as operações dessa primeira lagoa de aeração a receber os novos equipamentos, as equipes da autarquia aproveitaram para esgotá-la e fazer a remoção de todo o lodo depositado no seu fundo, uma intervenção bastante complexa e trabalhosa, que também contribuirá para a maior eficiência do tratamento.


Saiba mais