Agência Sorocaba de Notícias

SECOM

Sedettur discute melhorias no setor de aço

5 de fevereiro de 2021 18:29

Por: Bruno Rodrigues


 

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo (Sedettur), por meio da Divisão de Desenvolvimento Empresarial e Agronegócios de Sorocaba, coordenou, na terça-feira (2), uma reunião com membros do Arranjo Produtivo Local Metalmecânico para debater a falta de competitividade do aço no mercado nacional.

Durante a reunião, foram abordados os desafios que as empresas enfrentam com a alta da precificação do aço, bem como as possíveis soluções por meio do APL. Os principais problemas apontados foram: a preferência da exportação da matéria-prima por parte dos fornecedores nacionais, por conta da alta do dólar; a regulação do mercado em virtude da alta procura e pouca oferta; a dificuldade em negociar prazo e formas de pagamento por falta dos produtos; a escassez de matéria-prima e de produtos, em razão da desindustrialização; além dos reflexos das paradas de fornos das siderúrgicas na pandemia; a pouca diversificação de fornecedores nacionais e a necessidade de as empresas assumirem os prejuízos, para não repassarem os preços aos clientes finais.

“O debate das empresas indica que toda essa problemática refletirá na quebra de diversas corporações, se nada for feito. Por isso, foram levantadas ideias a serem realizadas que culminarão em ações”, explica o secretário de Desenvolvimento Econômico Trabalho e Turismo, Robson Coivo.

Durante a reunião, o grupo definiu ações, como: a criação de uma comissão específica para tratar o tema; convidar representantes da Construção Civil e APL’s de Sorocaba e do Estado com a mesma dificuldade no ramo do aço; compartilhar fornecedores de aço de Sorocaba, com prazos e facilidade de pagamentos; ações coordenadas das faculdades para a formação de banco de dados das empresas do APL na geração de sucatas, que podem auxiliar no processo de transformação; trocar materiais entre o grupo e indicações sobre a alta de preços; compartilhar estudos do Ciesp sobre falta de matéria-prima, entre outros.

O encontro virtual contou com a participação de representantes de diversas empresas do setor, tais como: VOSSLOH, Tecgal, Corus, Pasifer, RPS, Eng. PRESS, Solda Topo, Correa e Correa, Usimeca, além de entidades de apoio como Ciesp, Uniso e IFSP.

“Debates, como esse, fortalecem o cluster (conjunto de setores) de Sorocaba e região e as ações coordenadas fazem com que o setor tenha destaque no mercado, demonstrando a cooperação e preocupação sobre o tema”, salienta o secretário Coivo.

Desafios do APL

Em virtude da pandemia, existe o desafio das restrições impostas a serem superadas. O grupo discute a formação da governança do APL Metalmecânico, como forma de sistematizar e aprimorar o relacionamento entre as empresas. Tem, ainda, trabalhado na sistematização com o oferecimento dos produtos de forma on-line, bem como na atração de novas empresas para o cluster.

Para conhecer esse trabalho, acesse: https://aplmetalsorocaba.com


Saiba mais