Agência Sorocaba de Notícias

SECOM

Sorocaba tem primeira morte confirmada pelo novo coronavírus

28 de março de 2020 14:15

Por: Marcelo de Almeida Júnior - marcalmeida@sorocaba.sp.gov.br


O homem de 92 anos também tinha diabetes e faleceu em hospital particular

A Prefeitura de Sorocaba, por meio da Secretaria da Saúde (SES), registrou a primeira morte confirmada pelo novo coronavírus (COVID-19) neste sábado (28). A vítima foi um homem de 92 anos, diabético, que estava internado em leito de isolamento desde o dia 23 de março num hospital privado da cidade. A confirmação de que este senhor estava mesmo com a COVID-19 foi feita por um laboratório particular e divulgado pela Prefeitura de Sorocaba nesta sexta-feira (27). Segundo a SES, os dois pacientes dos outros casos confirmados encontram-se em isolamento domiciliar e em bom estado de saúde.

Atualmente, Sorocaba possui três casos confirmados com o novo coronavírus, sendo uma morte. A cidade passou de 199 para 222 casos suspeitos que aguardam resultados de exames. Deste total, 42 encontram-se internados (11 na UTI) e quatro óbitos também são investigados. O total de descartados por resultado de exames passou de 28 para 30.

Conforme determinação da Secretaria Estadual da Saúde, somente serão solicitados exames do novo coronavírus para pacientes suspeitos internados graves ou críticos e profissionais da área de saúde que apresentem sintomas de síndrome gripal. O teste diagnóstico não deverá ser realizado em pessoas assintomáticas. Essas medidas buscam otimizar o bom uso desse recurso, cujos insumos estão restritos no mundo devido à situação pandêmica.

Neste momento são considerados como suspeitos não notificados todos os pacientes que apresentarem características de síndrome gripal. Ou seja, pessoa com febre e sintomas respiratórios, sendo que a febre pode não estar presente em alguns, como pacientes jovens e idosos, ou que esteja fazendo uso de medicamento antitérmico. A orientação é que procurem uma unidade de saúde somente pessoas que percebam o agravamento dos sintomas, como falta de ar. Em situações menos complexas, é recomendado o isolamento domiciliar por até 14 dias.


Saiba mais