Agência Sorocaba de Notícias

SECOM

Startup acelerada pelo Parque Tecnológico é destaque com projeto sobre saneamento

16 de dezembro de 2020 14:56

Por: Marcelo Macaus - PTS


A SEIP 7, startup acelerada pelo PTS (Parque Tecnológico de Sorocaba), ficou em segundo lugar na categoria biotech no 100 Open Startups, ranking que destaca as empresas mais atraentes para o mercado corporativo e as líderes mais engajadas no ecossistema de inovação.

O reconhecimento foi conquistado por meio do Projeto DWS, desenvolvimento em parceria com a Universidade de Birmingham (Inglaterra) e com o apoio do Innovate UK, agência de inovação do Reino Unido. Trata-se de um sistema que retira poluentes da água, mesmo depois de ela tratada.

A solução, que serve para indústrias e empresas de saneamento, já está em fase de validação técnica e conceitual. No entanto, para que o processo ganhe ainda mais confiabilidade, a startup convida a população em geral para responder a um questionário.

A pesquisa, que avalia a inovação em tratamentos de água, é encontrada no link https://forms.gle/Hh6zTq4uWy4aSm1dA, não leva mais de três minutos para ser concluída e as respostas são confidenciais. “É uma abordagem completamente nova para o tratamento de água e as opiniões vão nos ajudar a validar e a desenvolver esta inovação”, ressalta o CEO e fundador da SEIP 7, Luis Carlos Rosa. “São respostas que farão diferença para o nosso trabalho.”

Focada no fornecimento de soluções inovadoras para o mercado de água, a startup com sede em Sorocaba atua em duas áreas: saneamento e óleo e gás. É na primeira que está sendo trabalhado o Projeto DWS. Já em óleo e gás vem sendo desenvolvido um sensor para detectar vazamentos de petróleo em águas ultraprofundas.

Conforme Luis Carlos Rosa, o Parque Tecnológico tem papel fundamental no sucesso da SEIP 7. “Estivemos incubados no PTS em 2014. Em 2016 fomos graduados e ainda hoje somos parceiros em diversos projetos”, detalha. “Contamos com muito auxílio na concepção das nossas ideias e na inteiração com os demais empresários.”

O 100 OPEN STARTUPS’

O objetivo do 100 Open Startups é dar visibilidade às startups selecionadas pelo mercado, ampliar as oportunidades a iniciativas que se encontram em estágio adequado para a conexão com grandes empresas, bem como destacar aquelas mais atraentes para o mercado corporativo.

O ranking, que tem como foco a geração de negócios, é publicado todos os anos, desde 2016, e hoje é referência para grandes empresas e investidores. “Aparecer neste ranking credencia o trabalho de qualquer startup”, afirma Luis Carlos Rosa.

Ao longo do ano, o Ranking 100 Open Startups dá pontos às startups que mais despertam interesse em médias e grandes instituições e, na outra ponta, para as médias e grandes empresas que mais estabelecem relações de negócio com startups.

SEIP 7 EM SEGUNDO

A SEIP 7 ficou em segundo lugar na categoria biotech, atrás apenas Regenera Moléculas do Mar, de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Completam o top dez: PluriCell Biotech (São Paulo) – 3º; FullFace Biometric Solutions (São Paulo) – 4º; Biosmart Nanotechnology (Araraquara) – 5º; Nuclearis (Salvador) – 6º; Duo Cannon (Anápolis, Goiás) – 7º; Cosméticos do Bem (Campinas) – 8º; Cellco Biotec do Brasil (São Carlos) – 9º; Blue Tecnologias e Participações Empresariais (Formosa, Goiás) – 10º.

Para o presidente do Parque Tecnológico de Sorocaba, Roberto Freitas, a posição de destaque da SEIP 7 ratifica que o trabalho desenvolvido ao longo de quatro anos é eficiente, de relevância e de referência. “Estamos deixando um Parque totalmente reorganizado e planejado para o futuro.”

Para saber mais sobre as soluções da SEIP 7, basta acessar ao site: http://www.seip7.com/.


Saiba mais