Agência Sorocaba de Notícias

SECOM

Ações de saneamento do Saae/Sorocaba contribuem com o meio ambiente de Sorocaba e região

21 de março de 2022 16:25

Por: Eduardo Santinon (esantinon@sorocaba.sp.gov.br)


 

A Prefeitura de Sorocaba, por meio do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae), busca sempre contribuir com o meio ambiente na cidade e em toda a região, trabalhando diariamente para que todo o esgoto produzido no município seja devidamente tratado. Sorocaba tem altíssimo índice de coleta e afastamento de esgoto de 99,19% e segue investindo continuamente em melhorias do sistema, assim como na excelência dos processos de potabilidade e manutenção da excelente qualidade da água distribuída à população.

“As ações do Saae/Sorocaba incluem coleta, afastamento, bombeamento e tratamento de esgoto. Os serviços realizados são para que o efluente tratado seja devolvido dentro dos mais altos parâmetros de qualidade ao Rio Sorocaba e busca-se atingir os 100% do índice de coleta e afastamento de esgoto, o que falta pouco. O cuidado com a água não é diferente, a fim de garantir o abastecimento com excelência. As ações e investimentos não param e chamam ainda mais atenção neste mês de março, pois, no dia 22, são comemorados o Dia Mundial da Água e o Dia do Rio Sorocaba”, aponta o diretor-geral do Saae/Sorocaba, Tiago Suckow.

O sistema de rede de esgotamento sanitário que vem sendo implantado na cidade desde 2000, como parte do Programa de Despoluição do Rio Sorocaba, é determinante na melhoria da qualidade de vida do sorocabano e na conservação do meio ambiente. Ao todo, foram construídas 17 estações elevatórias de esgoto e colocadas em operação oito Estações de Tratamento de Esgotos (ETEs): Sorocaba 1 – S1, Sorocaba 2 – S2, Pitico, Itanguá, Quintais do Imperador, Ipaneminha do Meio, ETE Aparecidinha e ETE Carandá, além de quilômetros de coletores-tronco e interceptadores.

De acordo com o Saae/Sorocaba, as ações permitiram recuperar, de forma mais rápida, a qualidade da água do rio, registrando a elevação do nível de oxigenação da água e a recuperação do ecossistema, com o repovoamento de peixes, aves e animais aquáticos.

Por sua vez, os volumes tratados nas ETEs equivalem a 97,5% do esgoto coletado em toda cidade. Todas as estações dispõem das Licenças de Operação (LO), emitidas pela Companhia Ambiental do Estado de SP (Cetesb), assim como os certificados para descarte dos resíduos nos aterros licenciados (Cadri).

A eficiência de remoção da carga orgânica dessas estações registra índice perto de 90% (acima do estipulado pelo Decreto Estadual 8.468/76), em média, e o automonitoramento dessas ETEs é realizado semanalmente, por meio da coleta de amostras para análises efetuadas no laboratório da autarquia e, semestralmente, em laboratório externo credenciado.

“Inclusive, os lançamentos dos efluentes tratados nas ETEs são igualmente monitorados pela Cetesb, cujos resultados das amostras coletadas estão em conformidade com as leis ambientais”, comenta o diretor de produção do Saae/Sorocaba, Reginaldo Schiavi. A autarquia mantém equipes de manutenção 24 horas, que atuam de maneira preventiva e corretiva em equipamentos e estruturas das referidas estações de tratamento de esgoto.

 

Melhorias nas ETEs

A ETE Pitico está em fase de reforma e ampliação, a qual, atualmente, encontra-se com mais de 60% da obra já concluída, em um investimento total superior a R$ 40 milhões.  A unidade tem vazão de tratamento de 251 litros por segundo e, com as intervenções, passará a ter capacidade para tratar 375 litros de esgoto por segundo, representando uma ampliação de quase 50%, assim como na eficiência do sistema. A ETE Pitico entrou em operação em 2009 e o cronograma de obras de melhorias segue em dia, com previsão de conclusão dos trabalhos ainda em 2022.

Já, ETE Itanguá passará, em breve, por reformas e adequações, pois já existe um processo de parceria que fará investimentos na estação, inclusive com a compra e instalação de novos aeradores e novas estruturas de adensamento e desidratação de lodo.

A ETE – S2 já possui projeto básico de melhorias e a elaboração do projeto executivo está em processo de licitação, para, na sequência, possibilitar as obras, com estimativa de investimento de mais de R$ 25 milhões, valor disponibilizado pelo programa de financiamento do Ministério do Desenvolvimento Regional. “Inclusive, será detalhado no projeto o uso de tecnologia avançada, capaz de atingir uma mais alta eficiência no processo, ao mesmo tempo em que um bom custo-benefício para a autarquia”, adianta o diretor-geral.

A ETE-S1 é a principal estação de tratamento de esgoto da cidade. Localizada no final da Avenida Quinze de Agosto, na margem direita do Rio Sorocaba, opera desde 2005, na Zona Leste, e atende 200 mil pessoas. Com a ampliação das suas instalações, entregue em julho de 2021, o volume de tratamento passou de 1.000 litros por segundo para 1.300 litros por segundo, também com melhora na eficiência do tratamento, passando de 81% para mais de 90%. O investimento foi de R$ 59,2 milhões, sendo R$ 38,9 milhões provenientes do Governo Federal, garantindo que o município tenha capacidade para tratar todo o volume de esgoto gerado até 2030, pelo menos.

 

Água tratada do Rio Sorocaba

Com a implantação do novo sistema produtor de água do Vitória Régia, o Saae/Sorocaba tem, atualmente, além dos mananciais utilizados anteriormente, o Rio Sorocaba como uma nova alternativa para captação, tratamento e distribuição de água, garantindo o fornecimento de água com toda qualidade para a população.

Na ETA Vitória Régia, destaca-se, ainda, o tratamento da água à base de ozônio, empregado por meio de tecnologia inovadora e pioneira na América Latina. Essa ETA reforçou a distribuição de água tratada não apenas na Zona Norte e na Zona Industrial, como se tornou também uma alternativa auxiliar no abastecimento de toda a cidade, pois está ligada ao sistema do município, por meio de 10 quilômetros de novas adutoras.

O Saae/Sorocaba realiza análises dos principais parâmetros de potabilidade da água de saída das estações de tratamento, além das coletas diárias em vários pontos das redes de distribuição em toda a cidade. Todos os parâmetros se encontram dentro do estabelecido pela Portaria GM/MS N° 888, de 4 de maio de 2021. A autarquia também faz atendimento imediato de quaisquer eventuais reclamações de desconformidades relatadas pelos munícipes.

 

Qualidade da água

A qualidade do abastecimento de água, disponibilizado pelo Saae/ Sorocaba, obteve 85,6% de aprovação da população, conforme pesquisa realizada pela equipe do site Indicadores de Satisfação dos Serviços Públicos (INDSAT). O levantamento tem como base dados coletados em junho de 2021, ouvindo 600 moradores da cidade, maiores de 16 anos. Sorocaba apresentou as melhores avaliações do abastecimento, desde novembro de 2020. Segundo o INDSAT, em novembro de 2020, a aprovação somava 65,8% e atingia 698 pontos de satisfação. A pontuação atual também aumentou muito, para 793 pontos de satisfação (de um total de 1.000).

Ainda, conforme o ranking de 2021 do Instituto Trata Brasil, baseado nos dados do SNIS, Sorocaba está na 25ª posição entre as 100 maiores cidades do Brasil com os melhores índices de saneamento (água e esgoto). O consumo de água tratada por dia é de 198.720.000 litros ou 198.720 m3/dia (2.300 litros/segundo)

Desde o ano passado, a atual Administração Municipal e o Saae/Sorocaba intensificaram as ações do Programa de Combate, Diminuição e Controle de Perdas. Os investimentos são constantes, inclusive, com recursos do Governo Federal, para a realização de iniciativas em todas as regiões da cidade, que seguem conforme cronograma previsto para 2022.

Entre as ações realizadas e atualmente em curso, é possível destacar: Monitoramento e redução das pressões nas redes de distribuição, por meio de instalações de Válvulas Redutoras de Pressão; Setorização dos Centros de Distribuição, com a implantação de macromedidores; Combate a ligações clandestinas e fraudes; Troca de hidrômetros, visando minimizar a submedição; Troca de antigos caminhões por veículos leves (picapes), para agilizar, ainda mais, a execução das manutenções de vazamento de água; Operações de caça-vazamentos, com a utilização de geofones, que permitem a detecção de escapes em pontos não visíveis, como nos pés de cavaletes de hidrômetros nos imóveis e em determinados pontos das redes de distribuição nas ruas; Substituição redes antigas por novas tubulações; Reforço na fiscalização, com ampliação do número de equipes, para a detecção de fraudes, violações nos hidrômetros e ligações clandestinas nas redes de distribuição, com eliminação dos problemas detectados e aplicação das sanções previstas na regulamentação.

“São investimentos importantes em inovação e qualidade. Sorocaba tem, hoje, um grande Parque Tecnológico de Saneamento, muito importante não apenas para a cidade, mas para toda a região. A população local dispõe de serviços de qualidade em abastecimento e esgoto e o Rio Sorocaba ganha na preservação de seu ecossistema”, finaliza o diretor-geral do Saae/Sorocaba.

 


Saiba mais