Programa “HumanizAção” completa dois anos em Sorocaba proporcionando novas chances para transformar vidas

Por: Bruno Rodrigues, Evelyn Azevedo

Senhor José do Santos, de 64 anos, que viveu quase 20 anos nas ruas da cidade, alimentando-se até de restos encontrados no lixo, teve a vida completamente transformada, após atendimento pelo programa municipal

Após dois anos de atendimentos contínuos em tratamento da dependência química, serviços de saúde, sociais e de reabilitação, Senhor José do Santos, de 64 anos, que atende carinhosamente pelo apelido de Zé, tem novamente motivos para estampar um largo sorriso no rosto.

Na perspectiva de muitas pessoas, ele já não mudaria mais de vida, uma vez que chegou a morar, durante quase 20 anos, nas ruas de Sorocaba, onde se alimenta até de restos de comida encontrados nas latas de lixo. Porém, tudo mudou, quando Zé abraçou, com força e coragem, uma nova oportunidade que lhe foi oferecida por meio dos serviços sociais da Prefeitura de Sorocaba, como parte do programa municipal “HumanizAção”, implantado desde 2021, pela atual Administração.

Zé era uma figura conhecida na cidade. Ele chamava a atenção por onde passava, com sua barba e cabelos longos grisalhos, empurrando um carrinho de mão cheio de quinquilharias. Foi, muitas vezes, abordado, por meio de ações sociais conduzidas por diversas secretarias municipais, que tentavam, de alguma forma, auxiliá-lo. Todavia, ele sempre negava ajuda e agia de maneira arredia.

Foi com o início das atividades do “HumanizAção”, há dois anos, que essa condição passou por incrível transformação. Após mais uma abordagem social, realizada de forma humanizada, Zé, enfim, aceitou ser encaminhado para uma residência terapêutica do município. Desde janeiro de 2021, deixou de perambular pelas ruas do Centro, sem qualquer perspectiva, para, agora, trajar roupas asseadas e limpas, manter os cabelos e a barba feitos e, o mais importante, uma rotina com atividades, hábitos saudáveis e cuidados pessoais. Hoje, Zé fica feliz em exibir sua cama confortável e guarda-roupa cuidadosamente organizado, uma realidade impensável até antes do atendimento pelo programa municipal.

As atividades realizadas na residência terapêutica incluem caminhadas e passeios externos a parques, praças e espaços de lazer, por exemplo, além de oficinas manuais que realiza em outro equipamento público. Os deslocamentos são feitos utilizando o transporte público, proporcionando, com isso, também a possibilidade de se ambientar com os demais residentes em tratamento, desfrutando de um dia a dia de convivência social. “Ele tem evoluído muito na socialização com os demais, além de ser muito colaborativo com toda a equipe e os colegas. Todas as atividades despertam o interesse do Zé e o ajudam muito nesse processo importante de convívio”, explica a coordenadora da residência terapêutica, Paula Pires.

Além dos colegas residentes, Zé também tem encontros periódicos com pacientes dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPSs), onde participa das oficinas. “Lá, é um dos lugares onde mais gosto de ir, pois tem muitas atividades junto com os demais colegas”, afirma.

Para quem acaba vivendo em situação de rua, cuidar do bem-estar próprio, muitas vezes, não é uma tarefa fácil. As consequências de não ter um lar para se abrigar incluem, também, estar vulnerável física e mentalmente, causando sérios problemas à saúde. Durante anos, o próprio Senhor Zé se alimentava de restos encontrados no lixo, colocando sua integridade em risco. Após a operação conjunta entre a Secretaria da Cidadania (Secid) e a Secretaria da Saúde (SES), com o apoio ainda de outras pastas envolvidas, ele passou por avaliação médica e psiquiátrica, para receber todos os cuidados necessários e vencer a situação em que se encontrava.

“O Zé chegou bem debilitado, com problemas sérios de pressão alta, condição que tratamos até hoje, com o uso contínuo de medicamentos. Agora, ele tem disposição, inclusive participa de todas as caminhadas em grupo”, ressaltou o técnico de enfermagem da residência terapêutica, Roberto Artur.

Felizmente, não foi apenas o Zé que pôde contar com o serviço de acolhimento humanizado oferecido pela Prefeitura de Sorocaba. Ao longo de seus dois anos de existência, em 2021 e 2022, o programa “HumanizAção” já realizou acima de 20 mil abordagens sociais especializadas a pessoas em situação de rua, as quais resultaram em mais de 16 mil oportunidades de acolhimento no Serviço de Obras Sociais (SOS), entidade parceria do município nesse programa, que oferece alimentação completa, banho, toalhas e roupas limpas, além de alojamento para o pernoite a essas pessoas. As equipes do programa, que atuam diariamente, incluindo fins de semana e feriados, contam também com o auxílio importante da população, que pode informar os locais da cidade onde pessoas nessas condições estejam necessitando de cuidados, assim como fazendo doações de roupas, cobertores e alimentos, por exemplo.

E toda essa dedicação é recompensada por histórias de vitória como a do Senhor José, as quais não são poucas, apesar de raras. Ao ser questionado se atualmente está feliz, Zé exibiu, todo orgulhoso, sua caixa de som, um presente especial que de um amigo, segundo a equipe da residência terapêutica. Com muita alegria, ele apertou o “play”, extravasando sua animação e empolgando todos à sua volta.

Ações diárias

As equipes do programa “Humanização” deram sequência, também na noite desta quinta-feira (19), às ações de abordagem social especializada e prestaram atendimento a 46 pessoas em situação de rua, sendo que 22 delas aceitaram receber acolhimento no SOS.

As equipes percorreram 23 diferentes pontos da cidade, sendo: Praça Frei Baraúna; Rua São Bento; Rua XV de Novembro; Rua Brigadeiro Tobias; Praça Arthur Farjado; Largo do Rosário; Rua Moacir Figueira; Rua Barão do Rio Branco; Rua da Penha; Rua Sete de Setembro; Rua Cel. Benedito Pires; imediações da Rodoviária; Rua Votuporanga; Praça Cel. Fernando Prestes; Praça Dom Tadeu Strunck; Av. São Paulo; Av. Nogueira Padilha; Av. Dom Aguirre; Praça Castro Alves; Av. Afonso Vergueiro; Praça Pedro de Toledo; Rua Blaza Munhoz e Av. Itavuvu.

O programa é realizado de forma integrada, reunindo profissionais da Secretaria de Segurança Urbana (Sesu), da Secretaria da Cidadania (Secid), com sua Coordenadoria de Álcool e Outras Drogas, junto à Divisão de Política para Pessoas em Situação de Rua, além da Secretaria da Saúde (SES). Também conta com o importante auxílio da Guarda Civil Municipal (GCM), da Secretaria de Serviços Públicos e Obras (Serpo) e da Urbes – Trânsito e Transportes.

“O programa vem se mostrando essencial no acolhimento de pessoas em situação de rua, como é o caso do Zé, que hoje demonstra uma verdadeira transformação de vida. Para tanto, é muito importante também o apoio em retaguarda da Guarda Civil Municipal, em especial, durante as ações noturnas e de madrugada”, fala o secretário da Sesu, Alexandre Caixeiro.

A população pode sempre colaborar com as atividades do “HumanizAção”. O contato pode ser feito pelo WhatsApp (15) 99666-2636, que pode ser acessado 24h por dia, ou pelos telefones: (15) 3229-0777, do SOS; (15) 3212-6900, da Secid e 153, da Guarda Civil Municipal.

ACESSO À INFORMAÇÃO