Publicação do Zoológico de Sorocaba sobre espécie de tatu é destaque em revista científica on-line

8 de março de 2024 11:39

Por: Mariana Antunes de Campos


O trabalho científico “Cuidados neonatais e pediátricos de um tatu-de-rabo-mole-grande (Cabassous tatouay)”, desenvolvido pela equipe técnica de Medicina Veterinária do Parque Zoológico Municipal “Quinzinho de Barros”, foi publicado na edição 24 da Revista Xenarthra, divulgando novas técnicas e contribuindo para a conservação da espécie. A publicação pode ser conferida no link: https://tinyurl.com/trabalhocientificozoosorocaba.

Administrado pela Prefeitura de Sorocaba, por meio da Secretaria de Meio Ambiente, Proteção e Bem-Estar Animal (Sema), o “Quinzinho de Barros” é um dos mais completos zoos da América Latina, classificado pelo Ibama na categoria A, que é a mais elevada. Além do lazer proporcionado ao público, o parque desempenha importante trabalho de conservação, pesquisa, bem-estar animal e educação ambiental, que são as cinco funções de um zoológico moderno.

O trabalho científico teve como objetivo relatar a criação e o desenvolvimento, sob os cuidados humanos, de um tatu-de-rabo-mole-grande órfão, durante o período de um ano, recebido ainda de olhos fechados no Zoológico de Sorocaba. Durante o processo, seu crescimento foi acompanhado por meio de pesagens periódicas e o bom estado de saúde do animal comprova que os cuidados neonatais se mostraram adequados para o desenvolvimento da espécie.

O tatu-de-rabo-mole-grande habita áreas florestadas da Mata Atlântica, Caatinga, Cerrado, Pampa e em ambientes de transição entre Cerrado e Pantanal. Tem hábito solitário e noturno, passando a maior parte do tempo dentro dos túneis que cavam. Por conta disso, ainda é uma espécie pouco conhecida pela ciência.

O Zoológico de Sorocaba é uma das poucas instituições que possuem indivíduos da espécie no plantel: um macho, encontrado por um munícipe no quintal de sua casa, e uma fêmea, trazida pela Polícia Civil de Boituva. A manutenção de espécies ameaçadas e/ou pouco conhecidas cientificamente permite, além da conservação, o desenvolvimento de pesquisas que proporcionam um maior conhecimento da espécie.

Esse é o resultado de um trabalho multidisciplinar feito nos bastidores do Zoológico de Sorocaba e que é representado pelos altos níveis de bem-estar dos animais. Por contar com um plantel de aproximadamente mil indivíduos, distribuídos em mais de 250 espécies, é possível desenvolver e contribuir com diversas frentes de pesquisa.

A Xenarthra é a única revista dedicada à publicação de artigos científicos e comunicações breves sobre diferentes temas da conservação e história natural de xenartros — um dos grupos de mamíferos menos conhecidos e notoriamente difíceis de estudar na natureza, que engloba os tamanduás, preguiças e tatus.

O Parque Zoológico Municipal está localizado na Rua Theodoro Kaisel, 883, na Vila Hortência, e é aberto de terça a domingo, das 9h às 17h, sendo que a bilheteria funciona até as 16h. Os ingressos custam R$ 8, para pessoas de 12 a 59 anos; e R$ 4, para crianças de 6 a 11 anos, além de estudantes dos ensinos Fundamental, Médio, Técnico ou Superior, reconhecidos pelo MEC, mediante comprovação de matrícula ou carteira estudantil dentro do prazo de validade. Crianças até 5 anos, idosos acima de 60 anos completos e pessoa com deficiência, garantindo-se também ao seu acompanhante, quando necessário e quando comprovada essa condição, são isentos de pagamento do ingresso.


Saiba mais